.arquivos

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Abril 2016

. Dezembro 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

.posts recentes

. Sonho

. ...

. ...

. O Pássaro Chica-Amorica

. Tu

. A Boneca

. Sento-me

. ...

. Rosas que já tinham morri...

. No Inicio ...

.Nosso Amor
carlosalberto
Terça-feira, 28 de Novembro de 2006
ANATOMIA (parte108)...

publicado por contoselendas às 01:39
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 27 de Novembro de 2006
Lembra-te

Lembra-te

que todos os momentos

que nos coroaram

todas as estradas

radiosas que abrimos

irão achando sem fim

seu ansioso lugar

seu botão de florir

o horizonte

e que dessa procura

extenuante e precisa

não teremos sinal

senão o de saber

que irá por onde fomos

um para o outro

vividos

 

Mário Cesariny

publicado por contoselendas às 12:02
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 24 de Novembro de 2006
Mulher

És tu. Mulher normal. Mulher inteira.
Olhos de amêndoa amarga. E peito doce.
Cisterna de água pura. Amendoeira.
Mulher de quem não sou. Mas antes fosse.

 

Tu és a flor do meu cantar de amigo.
Papoila no meu sangue amachucada.
De bruços a fazer amor comigo
na cama onde se deita a madrugada.

 

Mulher. Corça da noite. Erva do dia.
No peito duas rosas de alegria!
No ventre a rosa negra de cantar-te!

 

Mulher a quem desejo em plena rua.
A quem eu dispo. E ficas toda nua.
Que ali mesmo mulher eu quero amar-te!

 

Joaquim Pessoa

publicado por contoselendas às 12:01
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 21 de Novembro de 2006
ANATOMIA (parte107)...

publicado por contoselendas às 00:11
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 20 de Novembro de 2006
As Palavras dos Outros

Quantas vezes tenta-mos apagar as palavras dos outros.

As palavras escritas, só com um corrector se apagam

Mas fica sempre a marca desse mesmo corrector

Que nos lembrará as palavras que foram ditas

Ou a falta, que a ausência das mesmas nos fazem.

Boas ou más, conforme o nosso estado de espírito.

Lá nos esforçamos por esquece-las

Tentando queimar esse papel

Num esforço inglório para o esquecimento.

 

Contoselendas

publicado por contoselendas às 11:38
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 19 de Novembro de 2006
A Guerra

Num ano qualquer,

houve uma batalha qualquer,

numa terra qualquer,

entre um rei qualquer e outro rei

qualquer.

No fim, um anjo qualquer

desceu no campo de batalha,

pegou nos cadáveres do rei qualquer

e do rei qualquer

e perguntou

para um deus qualquer:

- Qual quer?

 

Carlos Pinhão

publicado por contoselendas às 00:11
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 16 de Novembro de 2006
ANATOMIA (parte106)...

publicado por contoselendas às 12:34
link do post | comentar | favorito
|
A angustia

Perseguição, medo, incerteza…

Tantas palavras para te definir

Tantos sentimentos…Não te

Conheço. Mas pressinto a tua

Aproximação. Aquele nó no

Estômago, aquele palpitar

Torácico… Aquela “guerra” que

Eu vou vencer.

 

Carlos Alberto  

publicado por contoselendas às 12:24
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 14 de Novembro de 2006
A paz sem vencedor e sem vencidos

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Que o tempo que nos deste seja um novo

Recomeço de esperança e de justiça.

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

 

A paz sem vencedor e sem vencidos

 

Erguei o nosso ser à transparência

Para podermos ler melhor a vida

Para entendermos vosso mandamento

Para que venha a nós o vosso reino

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

 

A paz sem vencedor e sem vencidos

 

Fazei Senhor que a paz seja de todos

Dai-nos a paz que nasce da verdade

Dai-nos a paz que nasce da justiça

Dai-nos a paz chamada liberdade

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

 

A paz sem vencedor e sem vencidos

 

Sophia de Mello Breyner Andresen

publicado por contoselendas às 23:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 13 de Novembro de 2006
ANATOMIA (parte105)...

publicado por contoselendas às 11:56
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.favorito

. Mudam-se os tempos, mudam...

. Amor é fogo que arde sem ...

. Espectacular!

. Ser Transparente!

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds