.arquivos

. Dezembro 2017

. Setembro 2016

. Julho 2016

. Abril 2016

. Dezembro 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Abril 2014

. Fevereiro 2014

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

.posts recentes

. A Menina dos Fósforos - H...

. Sonho

. ...

. ...

. O Pássaro Chica-Amorica

. Tu

. A Boneca

. Sento-me

. ...

. Rosas que já tinham morri...

.Nosso Amor
carlosalberto
Sexta-feira, 28 de Agosto de 2009
O silêncio

A onde estou tudo me parece

Parado, o silêncio parece ter

Tomado conta de tudo…

(abismo-me nos meus pensamentos)

Ouço um tik-tak… é o

Relógio de sala

Afinal o silêncio não tomou

Conta de tudo

O relógio bate os segundos

Quebrando assim

O silêncio, tal como o

Bater de meu coração

 

Contoselendas

 

publicado por contoselendas às 01:10
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 22 de Agosto de 2009
Meu Anjo

   Quando estou só é como se estivesse no deserto procurando por ti meu anjo, pois os anjos só aparecem no deserto, olho à minha volta e não te vejo mas sei que estás algures escondida para me fazeres uma surpresa e meu amor cresce com o deserto meu anjo, meu bem.

Contoselendas

 

publicado por contoselendas às 12:23
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 19 de Agosto de 2009
Momentos Perpétuos

  Era um dia de primavera. Ligaste-me dizendo que querias falar comigo. Disse-te que sim. Quiseste ir até a zona ribeirinha do Porto. Estava ansioso. Queria dizer que te Amava. Haveria um local melhor para o dizer?! Não fui capaz! Estavas desesperada sentindo o mundo a desabar sobre ti, falavas em suicídio … e eu a querer dizer que te amava ia acalmando tua revolta com o “mundo”. Meus olhos brilhavam de te ver, de estares ali comigo, e teus mostrando sofrimento nem percebiam o que se passava nos meus. Já não me lembro como te disse que te amava, como me declarei, quando tu desses-te: sim. A memória é fraca para essas performances. Só me lembro dos momentos perpétuos que temos vivido juntos.

Contoselendas

publicado por contoselendas às 02:05
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 12 de Agosto de 2009
Grão de Areia

Era uma vez um grãozinho de areia que vivia no deserto no meio de milhões e milhões de outros grãos de areia. Um dia disse aos amigos:

- Eu hei-de sair do deserto!

E os amigos às gargalhadas começaram a fazer pouco dele:

- Tu não passas de um grão de areia. A tua vida é no deserto. Nunca hás-de sair daqui!

- Eu digo-vos que hei-de sair – insistia o grãozinho.

E os amigos rebentavam de novo à gargalhada a fazer pouco dele, repetindo-lhe:

- Tu não passas de um grão de areia!

Um dia o vento começou a soprar muito forte. Levantou-se uma tempestade no deserto. Todos os grãozinhos de areia deram as mãos uns aos outros e juntaram-se muito juntinhos para não voar com o vento. Foi então que o nosso grãozinho aproveitou para largar as mãos de todos e se deixar levar pelo vento. Levantou voo e voou, voou durante horas.

Quando o vento deixou de soprar, ele já estava sobre as águas do mar. Caiu. Foi para o fundo dos oceanos, aterrou numa ostra e transformou-se numa pérola.

 

publicado por contoselendas às 11:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 9 de Agosto de 2009
Eternidade

Adoro estar contigo

Tu a meu lado…

Eu a teu

Abraçados

Sentindo-nos... um…

Ao outro

Um só ser, uma só

Existência, uma

Eternidade, um

Amar

 

Contoselendas

 

publicado por contoselendas às 15:14
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.favorito

. Mudam-se os tempos, mudam...

. Amor é fogo que arde sem ...

. Espectacular!

. Ser Transparente!

.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds