Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contos, Lendas e Poesia

Contos, Lendas e Poesia

30
Mai07

Viver - O Poder de Dar-se

contoselendas

Viver é Amar.

È dar-se,

É um não pensar.

Cada momento

É importante.

Cada sentimento

Tem a sua importância,

Relativa.

Não falo no Einstein

Pois isso é ciência.

Mas naquilo que há

Cá dentro

Em cada um de nós.

O Poder de Amar,

O Poder de Dar-se.

 

Contoselendas

26
Mai07

O Anel

contoselendas

    Um aluno chegou ao seu professor com um problema:

    - Venho aqui, professor, porque sinto tão pouca coisa, que não tenho forças para fazer nada. Dizem que não sirvo para nada, que não faço nada direito, que sou um lento e um idiota. Como posso melhorar? O que posso fazer para me valorizarem mais?

   O professor sem olhá-lo disse:

   - Sinto muito meu jovem, mas agora não posso ajudá-lo, devo primeiro resolver o meu próprio problema. Talvez depois.

   E fazendo uma pausa falou:

   - Se tu me ajudares, eu posso resolver o meu problema com mais rapidez e depois talvez possa ajudar-te a resolver o teu.

   - Claro, professor, gaguejou o jovem, mas sentiu-se outra vez desvalorizado.

   O professor tirou um anel que usava no dedo pequeno, deu ao rapaz e disse:

   - Monte o cavalo e vá até ao mercado. Deve vender este anel porque tenho que pagar uma dívida. É preciso que obtenha pelo anel o máximo possível, mas não aceita menos que uma moeda de ouro. Vai e volta com a moeda o mais rápido possível.

   O rapaz pegou no anel e partiu.

   Mal chegou ao mercado começou a oferecer o anel aos mercadores. Eles olharam com algum interesse, até quando o rapaz dizia o quanto pretendia pelo anel. Quando o rapaz mencionava uma moeda de ouro, alguns riam, outros saiam sem ao menos olhar para ele, mas só um velhinho foi amável a ponto de explicar que uma moeda de ouro era muito valiosa para comprar um anel. Tentando ajudar o rapaz, chegaram a oferecer uma moeda de prata e uma chávena de cobre, mas o rapaz seguia as instruções de não aceitar menos que uma moeda de ouro e recusava as ofertas. Depois de oferecer a jóia a todos que passavam pelo mercado e abatido pelo fracasso, montou o cavalo e voltou. O jovem desejou ter uma moeda de ouro para que ele mesmo pudesse comprar o anel, assim livrando-se da preocupação do seu professor e assim puder receber a sua ajuda e conselhos. Entrou em casa e disse:

   - Professor, sinto muito, mas é impossível o que me pediu. Talvez pudesse conseguir 2 ou 3 moedas de prata, mas não acho que se possa enganar ninguém sobre o valor do anel.

   - Importante o que me disseste rapaz, contestou sorridente. Devemos primeiro saber o valor do anel. Volta a montar o cavalo e e vai até ao joalheiro. Quem melhor para saber o valor exacto do anel? Diz que queres vender o anel e pergunta quanto ele te dá por ele. Mas não importa o quanto ele te ofereça, não o vendas. Volta aqui com o meu anel.

   O rapaz foi até ao joalheiro e deu-lhe o anel para examinar. O joalheiro examinou o anel com uma lupa, pesou o anel e disse:

   - Diz ao teu professor que, se ele quer vender agora, não posso dar mais que 28 moedas de ouro pelo anel.

   - 28 MOEDAS DE OURO! Exclamou o rapaz.

   - Sim, replicou o joalheiro, eu sei que com o tempo poderia oferecer cerca de 70 moedas, mas se a venda é urgente...

   O rapaz correu emocionado a casa do professor para contar o que aconteceu.

   - Senta-te, disse o professor.  E depois de ouvir tudo que o rapaz lhe contou disse:

   - Tu és como este anel, uma jóia valiosa e única. Só pode ser avaliada por um especialista. Pensavas que qualquer um podia descobrir o seu verdadeiro valor?

   E dizendo isto voltou a colocar o anel no dedo.

   Todos nós somos como esta jóia. Valiosos e únicos e andamos por todos os mercados da vida pretendendo que pessoas inexperientes nos valorizem.

   Repensa no teu valor!

 

Autor Desconhecido

16
Mai07

Gotas do Mar

contoselendas

Deslizando umas sobre as outras

Umas vezes calmamente, outras

Nem tanto assim.

Lá vão deslizando ao vento

Que vai murmurando

Sabe-se lá o que

Mas elas não se preocupam

Com o que este diz ou

Quem quer que diga algo

Sabem que são irmãs do mesmo

Sangue. Filhas do mesmo mar

Senhoras de um destino

Assim são as Gotas do Mar

 

Contoselendas

12
Mai07

Tolerância

contoselendas

   Um director de empresa com poder de decisão, gritou com seu gerente porque estava com muito ódio naquele momento.

   O gerente, chegando em casa, gritou com sua esposa, acusando-a de gastar demais, com um bom e farto almoço à mesa.

   A esposa nervosa gritou com a empregada que acabou quebrando um prato que caiu no chão.

   A empregada chutou o cachorrinho no qual tropeçara, enquanto limpava os cacos de vidro.

   O cachorrinho saiu correndo de casa e acabou mordendo uma senhora que ia passando pela rua.

   Essa senhora foi à farmácia para fazer um curativo e tomar uma vacina, e gritou com o farmacêutico, porque a vacina doeu ao ser-lhe aplicada.

   O farmacêutico, chegando em casa, gritou com sua esposa, porque o jantar não estava do seu agrado.

   Sua esposa, tolerante, um manancial de amor e perdão, afagou seus cabelos e beijou-o, dizendo:

   - Querido, prometo que amanhã farei o seu prato favorito. Você trabalha muito, está cansado e precisa de uma boa noite de sono. Vou trocar os lençóis da nossa cama por outros bem limpinhos e cheirosos para que você durma tranquilo. Amanhã você vai sentir-se bem melhor. E retirando-se e deixou-o sozinho com os seus pensamentos.

                                                                                                                                  

Autor desconhecido

01
Mai07

Será amor

contoselendas

Esse teu olhar lindo e

Singelo. Essa maneira

De falar, sem dizer

Uma palavra. Esse

Estar que abalou meu

Coração. Lembro-me…

Tudo começou

Por uma troca de olhares

Cúmplices num jogo.

Será amor!?

 

Contoselendas

Mais sobre mim

foto do autor

Fazer olhinhos

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Nosso Amor

carlosalberto

Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D